quarta-feira, 13 de abril de 2011

Mais uma vez..



Mais uma vez amanheci com o dia e não consegui descansar. Estou sentado movido a cafeína e tédio, com papeis e lápis em mãos, um cigarro ao lado, ouvindo Cássia Eller. Ainda não consegui dormir para poder sonhar, talvez eu não queira, ou simplesmente, desisto destes - ao menos por hoje. 
Me pego com quilos de lembranças ocupando o nada em mente, creio que hoje mais nostalgico que o normal.

Me vem em mente todo o tempo, aquele sexo matinal, tua leve doce quente respiração, toque suave de suas mãos, quando a gente se juntava na mesma cama e ainda com o rosto marcado, amassado, beijávamos. Você virava de lado, dividíamos o travesseiro, entrava na tua coberta e a partir dali...  Rostos colados, corpos unidos, pernas entrelaçadas..

Dois em um ou mais simples, um dividido em dois? 

Não importa, era ali nosso momento, um ritual gostoso de se cumprir, enquanto a manha se colocava em seu lugar, insistíamos em ficar ali, em não levantar.. Teimavamos em nos amar, esquecer o resto dos compromissos, esquecer a aula, o trabalho, esquecer aquele velho mundo cheio de regras e obrigações e viver eu e você, numa frágil bolha, nossa, só nossa...

Enquanto, ainda deitados, nosso amor se consumava e a paixão escorria junta cada gota de suor que transbordava, o dia poderia ser o mais pálido e gelado, mas nossas manhãs eram diferentes, sempre quentes, meio ofegante, com longos suspiros a nos banhar..

Ínicio de um dia comum,hoje talvez, tão longe e utópico, d'uma rotina gostosa, enfumaçada, cheia, feliz, bebada, molhada, morgados..

Mas ainda ficaram guardados, ficaram.
Sim! Nas minhas lembranças, ninguém toca.

10 comentários:

  1. Há de sobreviver sim, lembranças e você, há de existir, afinal o que é bom, o que é nosso sempre exisitirá, em algum lugar, há de se olhar agora pela janela e agradecer, agradecer a cama que um dia foi quente, que um dia foi de dois e há de se esperar, esperar o tempo, as horas, as escolhas.

    Sobrevivemos, vivemos e recriamos todos os dias novos passos.

    NOH

    ResponderExcluir
  2. Lembranças são armas suicidas;

    ResponderExcluir
  3. ah, Adonai.. e eu fico feliz em saber que tem menos um alienado no mundo! hahaha...
    só por causa do seu comentário eu ja te seguiria, e se nao houvesse comentario, seguiria do mesmo jeito pq curti geral seu blog =)

    pode incomodar por la sempre, farei o mesmo.
    beijo

    ResponderExcluir
  4. lembranças e pensamentos são intocáveis...


    =)

    ResponderExcluir
  5. Surreal esse seu expressionismo da sua atuaal realidadee'
    Claro qeu há de sobreviveeer ... uma passo a frente do outroo."

    Beijoo.

    ResponderExcluir
  6. isso "também" vai passar e o melhor da vida é que ela nos permite guardar na lembrança tudo de maravilhoso que já vivemos até aqui!

    beijo.

    ResponderExcluir
  7. Estou lendo um livro chamado Eu receberia as piores noticias dos teus lindos lábios, de Marçal AQuino, uma peróla, delicioso, e nesse livro a personagem que para mim é principal tem uma dualidade interna gigantesca que é percebida sexualmente. Hoje estou o lado mais esfomeado rsrs, por isso o texto tão entregue, tão eu.

    Obrigada pelo comentario, apaixonante me deixa muito feliz.

    Beijos
    Noh

    ResponderExcluir
  8. recordações, embranças.
    passei e decidi ficar, posso? rs

    ResponderExcluir

Diga, o que achou?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...